sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Fantasia lusitana

Fui ao cinema Alexandra, na Rambla de Catalunya, ver “Fantasia Lusitana”, incluído na Mostra de Portugal. Documentário de João Canijo que ilustra o Portugal de 1940, como se de um comic book se tratasse e tivesse em Salazar o seu super-herói, o verdadeiro salvador da pátria. Contra ventos e tempestades, dessa Europa longínqua e beligerante, Portugal seguia o seu caminho orgulhoso prestando homenagem aos fundadores e heróis de um país que não tendo exército, os apresentava a eles na linha da frente. Não existiam refugiados mas personalidades que visitavam essa nação rejubilante, como se do Walt Disney World se tratasse, não fugindo de um monstro, mas ansiando por visitar a Exposição do Mundo Português. Um mundo animado de fantasia, com portugueses dos quatro cantos do império que habitavam naquele campo de Belém com a normalidade dos seus usos e costumes como se não tivessem reparado viver num jardim zoológico. As personalidades seguem os seus relatos de dor e alheamento, estranhando esse país onde se exilaram, que parece alegrar-se com os balões singelos de Santo António numa lição de vida ingénua e honrada.

O mundo agoniza e contorce-se, em Portugal cospe-se e faz-se ruído. Se das liçoes da actualidade continuo a perceber que o ruído é boa medicina para nao responder a perguntas verdadeiramente pertinentes, duvido que se continue a cuspir por método. Neste caso específico cuspo eu, mas por asco ao protagonista do filme.

1 comentário:

  1. Não vi o filme... nem fui a esse cinema, mas tenho uma foto da fachada, sabe-se lá porquê...
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 2.5 Portugal.