quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Mais uma vez, a língua

E eis que a responder em catalão a uma pergunta em catalão de um jornalista catalão, em Aragão, repreendem a um treinador de Girona para que fale "em castelhano". Ao que respondeu "depois traduzo". E insistiram no castelhano, e o treinador não desistiu do catalão, até que abruptamente, acabou a conferência de imprensa. "Se fosse italiano ou inglês não havia problema..."

Notícia e vídeo aqui:
http://www.lavanguardia.es/opinion/articulos/20110215/54114350790/visca-catalunya-lliure-monzo.html

As línguas co-oficiais  são uma das causas de grande fricção mais comuns dentro do estado espanhol. Há pouco tempo Aznar, que continua com um pé na política, sendo presidente honorário do PP, esclareceu que "España no está para bromas" (Espanha não está para brincadeiras), referindo-se ao uso de línguas co-oficiais, como o catalão, basco ou galego no Senado, insinuando que se utilize exclusivamente o castelhano.

1 comentário:

  1. Mas se são línguas oficiais têm todo o direito de as usar... os portugueses por todo o mundo, políticos e, em especial, os futebolistas "estrelas" falam todas as línguas e mais algumas em vez do português, que era o que deviam falar, deviam exigir tradutor que é o que os outros fazem ( excepção para a vez em que Mourinho recebeu não sei que prémio, mas isso foi para ser ainda mais falado e não por amor à Língua Portuguesa , penso eu...)
    Abraço.

    ResponderEliminar

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 2.5 Portugal.